5 de fev de 2014

Funções Harmônicas - Acordes Dominantes e Subdominantes.

Trítono - Define-se como trítono, um intervalo de 3 tons encontrado na forma de 4ª aum  e/ou 5ª dim. O intervalo entre a 3ª maior e a 7ª menor é a forma mais comum de ocorrência de trítono, encontrado no acorde maior com sétima menor (Dominante).

Veja:
O intervalo entre a 3ª maior e a 7ª menor aparece na forma de 5b e o intervalo entre a 7ª menor e a 3ª maior aparece na forma de 4# (inversão de intervalos).
A tensão gerada pelo trítono sugere a resolução no acorde 4ª acima ou 5ª abaixo. Ex.:
G7 à C
Neste caso o acorde dominante é chamado de dominante funcional (exerce uma função dentro de uma determinada progressão).
Quando o acorde dominante não resolve e se repete durante alguns compassos é chamado de dominante estático (comum no Blues).

Dominante Alterado

Com frequência encontramos acordes dominantes com 5ªs e 9ªs aumentadas ou diminuídas em ½ tom.

Ex.: C7#9, C7#5, C7b9, C7b5.

Estas alterações não descaracterizam o acorde, já que o trítono continua presente. Encontramos estes intervalos (9b, 9#, 5b e 5#) no VIIº grau do campo menor melódico. Alguns destes intervalos “alterados” também são encontrados na escala DomDim (9b e 5b), na escala Hexafônica (5#) e no V grau do campo menor harmônico (9b e 5# enarmonicamente 6b).

Sub V

Quando o acorde dominante é alterado (VII grau do campo menor melódico - T 2b 2# 3 5b 5# 7) encontramos no IV grau do mesmo campo harmônico um acorde com o mesmo trítono, no modo Mixolídio 4# (T 2 3 4# 5 6 7).  Temos assim o sub V.

Veja:
Am7M  Bbm7  C7M#5  Db7  Eb7  Fm7b5  G7alt
Dm7  G7  C7M à Dm7 Db7  C7M
Dm7b5  G7  Cm7 à Dm7  Db7  Cm7

Esta substituição de acorde dominante pode ser feita tanto na cadência II V I maior quanto na cadência II V I menor.

Subdominante

O acorde subdominante exerce uma função de movimentação e tensão, mas com menos força que o acorde dominante. Embora tenha menos força, também é usado para atrair a resolução no Iº grau Quando isto ocorre (IVº à Iº) temos uma cadência Plagal.

C7M (I) Dm7  Em7  F7M (IV) G7  Am7  Bm7b5

O acorde subdominante  também pode aparecer menor, emprestado do campo menor natural. gerando assim a cadência IVm IM à Fm7 C7M

Cm7  Dm7b5  Eb7M  Fm7  Gm7  Ab7M  Bb7
     IVm

Outras substituições possíveis para o IVm (ex. Fm) são:

IIm7b5 Lócrio 9 à Dm7b5

bII7M Lídio à Db7M

bVI7M Lídio à Ab7M

bVII7 Mixolídio 4# à Bb7

bVII7 sus4 Mixolídio à Bb7sus4

Funções Harmônicas

As principais funções harmônicas são: Iª grau (repouso), Vº grau (preparação) e IVº grau (movimentação).

Funções relativas: De modo geral, substituem ou somam-se às funções principais. As relativas menores estão a uma distância de sextas menores das suas funções principais.

C7M à Am7

G7 à Em7

F7M à Dm7

Já as anti-relativas estão a uma distância de terças maiores das suas funções harmônicas.

C7M à Em7

F7M à Am7

Apenas acordes maiores e menores podem funcionar como relativos ou anti-relativos. O VIIº grau funciona como um acorde dominante com 7ª e 9ª sem Tonica (com a 3ª no baixo). 

Ex.: Em7b5 = C79/E.


Tipos de cadências

Cadências diretas: Utilizam apenas as funções principais. Ex.:

Cadência autêntica: G7 à C7M

Cadência plagal: F7M à C7M

Cadência perfeita: F7M à G7 à C7M

Cadências indiretas: Utilizam acordes relativos das funções principais. Ex.:

Cadência Plagal menor - Utiliza o IVm na função de dominante: Fm à C

Cadência deceptiva - Quando a resolução é contrariada: G7 à E7M

Cadência imperfeita - Quando V ou I estão invertidos: D/F# à G/B

Cadência estendida - Acordes dominantes são precedidos por seus dominantes: E7 à A7 à D7M

Cadência estendida interpolada - Igual a cadência estendida comum, mas cada dominante é precedido pelo substituto do subdominante (relativa menor - IIm7) F#m7 à E7 à Em7 à A7 à Am7 à D7

Cadência II V I - Utiliza a substituição do IV pelo seu relativo menor (IIm7). Veremos isoladamente este tipo de cadência, já que é muito usada em diversos gêneros musicais. 

Bons Estudos !!!